MAROCAS

Dezembro 26 2005
idosos-12.jpg

SER VELHO É SER REI

Dizem que ser velho,
é ser lento, refilão, triste,
aborrecido, enfim um chato!
Mas... não
Ser velho,
eu sei que é ser idoso, ou idosa
Mas ser velho é ser rei!
Sim rei, porque não!
Serem velhos, ou serem idosos
como alguns gostam mais.
tem o doce sabor de viver,
é chegar onde se calhar muitos
nunca chegam
Mas ser velho é ser dos outros,
ser solidário com a natureza,
com os mais novos,
ter mais paciência para as crianças
no seu dia a dia
Qual a criança que não gosta
de ter avós, que os amam
Ser velho é isto mesmo,
é ser feliz, de pertencer aos filhos,
aos netos, aos amigos
Ser velho é ser rei
É ter a idade da inocência,
do saber e do amor,
do prazer de estar bem com a vida
Saber histórias,
aquelas que a vida lhe ensinou,
ou lhe trouxe
Ser velho é ser rei
Sim rei,
e ser rei, é ser maior
É precisamente isso que o velho é,
O maior!
Ser velho é ser amigo,
carinhoso para tudo e para todos,
até para os animais,
ver a vida no seu hábito mais gostoso
Ser velho,
é ter o doce sabor da vida

de: fernando ramos - www.meuslivros.weblog.com.pt
23.12.2005
publicado por Fernando Ramos às 18:02

Dezembro 24 2005
CRIANÇA-1.jpg

MENINO JESUS

Menino Jesus,
no terceiro mundo, este ano
os meninos e seus familiares
mais uma vez não tem qualquer
bom natal naquele cantinho do globo
Os loucos senhores da guerra
estão mais preocupados
em rechear a sua carteira
e de todos aqueles que os protegem,
que algum peru para aos meninos comerem
Não haverá adoração ao Deus menino,
como também como já é normal para eles
Pouco haverá que comer para todos
os que vivem na terra pouco protegida,
bem como em alguns lugares da América latina

Menino Jesus,
ajuda estes seres humanos,
porque o que eles pedem
é simplesmente que a fome acabe,
bem como a guerra, e que a paz
traga o bem mais precioso
da humanidade, que é a vida
Faz com que os homens de boa vontade
consigam por ordem neste nosso mundo,
onde o egoísmo é lei, e onde muitos,
estão pouco preocupados
com a desgraça do seu irmão

Menino Jesus,
te imploramos que acabes
com esta miséria que é o flagelo
daquele canto do mundo,
e acabes com as doenças,
que além da guerra são a causadora
de maior desgraça e miséria
de quem nada tem para sobreviver,
e nem sequer um pedaço de chão
tem para morrer dignamente

Menino Jesus,
faz com que mais nenhuma
mina ou bomba mate,
ou deixe estropiados para sempre,
meninos e seus pais,
que nenhum mal fizeram aos poderosos
que alimentam a morte,
e saqueiam, o que o bom Deus
deu a esta parte do planeta

Menino Jesus,
faz com que a mensagem passe
de irmão para irmão,
para a paz chegar à terra,
e abençoa todos os que tem boa vontade
de fazer um mundo mais justo para todos
Faz com que os Reis magos,
este natal, tragam amor,
muito amor para todos.

de: fernando ramos www.meuslivros.weblog.com.pt
24.12.2005


publicado por Fernando Ramos às 17:45

Dezembro 22 2005
velho-musuca.jpg

LÁGRIMAS NAS RUGAS

Vai o velho pela cidade,
Cumprindo seu triste destino
Poderá ser uma atrocidade,
Mas da vida anda vencido

Vive na rua, e anda muito pensativo
Recordando pedaços passados
Segue seu rumo já sem sentido,
Que o levará a locais errados

Revendo imagens da vida cansada,
Caiem-lhe lágrimas nas rugas do rosto
Sua vida agora é chorada,
Por viver só, e em profundo desgosto

É que, de permeio as rugas aconteceram
Como causa de anos fatigados
Trouxeram-lhe danos que padeceram,
De alguns sonhos não concretizados

A cidade gira sem dar por ele,
Que agora anda de mansinho
Não será por culpa dele
Mas de quem o deixa vaguear sozinho

Pobre velho que vais só,
Nesta cidade de pouca razão
Por favor, dele não tenham dó
Ele é apenas vosso irmão

Ele sabe que hoje o seu presente,
Amanhã já é passado
Ainda vive na esperança incandescente,
De seu futuro ainda não ter findado

Velhos, todos nós um dia seremos
É tão fatal, como o destino da vida nos traça
Tratemos agora do nosso irmão, se queremos
Um dia, não cair na mesma rua da desgraça

De: fernando ramos - www.meuslivros.weblog.com.pt
15.12.2005



publicado por Fernando Ramos às 14:08

Dezembro 14 2005
globo-5.gif

Porque será...?

O Joaquim, depois de dormir numa almofada de algodão (MADE IN EGIPT),
começou o dia bem cedo, acordado pelo despertador (MADE IN JAPAN) às
6 da manhã.

Depois de um banho com sabonete (MADE IN FRANCE) e enquanto o café
(IMPORTADO DA COLÔMBIA) estava a fazer na máquina (MADE IN CHECH
REPUBLIC), barbeou-se com a máquina eléctrica (MADE IN CHINA).

Vestiu uma camisa (MADE IN SRI LANKA), jeans de marca (MADE IN
SINGAPORE)
e um relógio de bolso (MADE IN SWISS). Depois de preparar as torradas de
trigo (PRODUCED IN USA) na sua torradeira (MADE IN GERMANY) e enquanto
tomava o
café numa chávena (MADE IN SPAIN), pegou na máquina de calcular (MADE IN
OREA)
para ver quanto é que poderia gastar nesse dia e consultou a Internet no
seu computador (MADE IN THAILAND) para ver as previsões meteorológicas.

Depois de acertar o relógio (MADE IN TAIWAN) pelo rádio (MADE IN INDIA),
ainda bebeu um sumo de laranja (PRODUCED IN ISRAEL), entrou no carro
(MADE IN SWEDEN) e continuou à procura de emprego. Ao fim de mais um dia
frustrante, com muitos contactos feitos através do seu telemóvel (MADE
IN FINLAND) e após comer uma pizza (MADE IN ITALY), o Joaquim decidiu
relaxar por uns instantes. Calçou as suas sandálias (MADE IN BRAZIL),
sentou-se num sofá (MADE IN DANMARK), serviu-se de um copo de vinho
(MADE IN CHILE), ligou a TV (MADE IN INDONÉSIA) e pôs-se a pensar
porque é que não conseguia encontrar um emprego em condições em PORTUGAL.

VIVA A GLOBALIZAÇÃO !!!!!!!!!!!!!!!!!!

publicado por Fernando Ramos às 18:43

Dezembro 01 2005
bicicleta-mulher.jpg

ANA ROSA

Nos meus tempos de estudante,
pelo Bairro Alto eu andava
À porta de uma taverna, numa daquelas
ruas estreitas, conheci lá Ana Rosa
Era uma mulher feita e fogosa, onde seu corpo
de alguma formosura, num vão de escada
de um prédio velho, tornava
minha juventude mais saborosa

Ana Rosa, e todas as Anas Rosas,
que por aquela rua vagueavam naquela época,
como falsas virgens, mais não faziam que
vender seu corpo meio descoberto
Onde pouca fazenda cobria suas
vergonhas que eram oferecidas
por algum dinheiro aos homens,
ou rapazolas como eu, que por ali passavam

O pouco dinheiro que eu tinha,
dado por meus pais, eu o guardava,
e esse dinheiro, com mais alguns trocos,
que docemente surripiava à pobre da minha avó,
me levavam àquelas ruas, pelo menos
uma vez por mês, e a Ana Rosa eu queria,
pois ela era a mulher de meus sonhos eróticos,
sensuais, e também o meu conforto

Ela só não sabia ensinar-me amar,
como era boa ouvinte,
e, na minha inocência de vida
lhe contava minhas tontarias
de rapaz atrevido
E Rosa ria, ria, como ela ria meu Deus,
seu sorriso era tão bonito,
como seu corpo de belas curvas

Bem depressa, deixei de ir àquelas ruas
escuras, tristes e de má fama por causa
dos pecados da vida
Mas tivesse eu dinheiro, a ela eu iria todos os dias
Que saudades eu tenho da minha vida de rapaz doidão,
como dizia Ana Rosa, e baixinho me sussurrava
ao ouvido, dizendo como gostava ser dona
da rua do pecado, só para estar sempre comigo

Hoje passo pelo Bairro Alto,
e claro já lá não está a Ana Rosa,
mas eu a recordo com amizade, e se calhar
com algum amor que fiquei por aquela mulher
que sempre achei gostosa
Àh, tivesse eu dinheiro,
e quando era jovem, aquela rua de pecado,
eu oferecia à Ana Rosa

de: fernando ramos - www.meuslivros.weblog.com.pt
3.11.2005

publicado por Fernando Ramos às 16:27

Visitas
(desde 14.7.2012)
Dezembro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
15
16
17

18
19
20
21
23

25
27
28
29
30
31


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO