MAROCAS

Setembro 05 2015

paulo coelho-2.gif Vou contar-te uma história- disse Zedka.- Um poderoso feiticeiro, querendo destruir um reino, deitou uma poção mágica no poço onde todos os seus habitantes bebiam. Quem bebesse aquela água ficaria louco. Na manhã seguinte, a população inteira bebeu, e todos enlouqueceram, menos o rei- que tinha um poço só para si e para a sua família, onde o feiticeiro não conseguira entrar. Preocupado, ele tentou controlar a população com uma série de medidas de segurança e saúde pública: mas os polícias e inspectores tinham bebido a água envenenada, e acharam um absurdo as decisões do rei, resolvendo não as respeitar de modo nenhum. Quando os habitantes daquele reino tiveram conhecimento dos decretos, ficaram convencidos de que o soberano enlouquecera, e agora escrevia coisas sem sentido. Aos gritos, foram até ao castelo e exigiram que renunciasse. Desesperado, o rei prontificou-se a deixar o trono, mas a rainha impediu-o, dizendo: «Vamos agora até à fonte, e beberemos também. Assim, ficaremos iguais a eles». E assim foi feito: o rei e a rainha beberam a água da loucura, e começaram imediatamente a dizer coisas sem sentido. Na mesma hora, os seus súbditos arrependeram-se: agora que o rei mostrava tanta sabedoria, porque não deixá-lo a governar o país? O país continuou em paz, embora os seus habitantes se comportassem de maneira muito diferente da dos seus vizinhos. E o rei pôde governar até ao final dos seus dias”. Veronika decide Morrer (anda na net)

publicado por Fernando Ramos às 21:49

Setembro 05 2015

CARTA DE UM ESCRITOR AFRICANO ANÓNIMO

 

Meu irmão branco,
Quando nasci, eu era negro.
Quando cresci, eu era negro.
Quando apanho sol, eu fico negro.
Quando estou com frio, eu fico negro.
Quando estou com medo, eu fico negro.
Quando estou doente, eu fico negro.
Quando eu perco a coragem, eu fico negro.
Quando morrer, eu ficarei negro.
 
  
E você homem branco,
Quando nasceu, era rosa.
Quando cresceu, era branco.
Quando apanha sol, fica vermelho.
Quando tem frio, fica roxo.
Quando está com medo, fica branco.
Quando está doente, fica verde.
Quando perde a coragem, fica amarelo.
Quando morrer, ficará cinzento.
 
  
Depois de tudo isto, homem branco, você ainda tem a lata de me chamar homem
de cor!...
 
 

Recebi este comentário que passo;

dado desconhecer o autor da CARTA DE UM ESCRITOR AFRICANO

 

Comentário:
Nada a questionar em relação ao significado do texto, mas o mesmo tem um autor, chama-se Lamont Humphrey e é a letra de um tema you call me colored(Fucking nerve). Cumps RS

publicado por Fernando Ramos às 20:15

Visitas
(desde 14.7.2012)
Setembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


favoritos

CHIA BENEFICIOS

pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO