MAROCAS

Agosto 28 2013

 

História da palavra CARALH*

 

O que significa a palavra “CARALH*”?
Segundo a Academia Portuguesa de Letras, “CARALH*” é a palavra com que se denominava a pequena cesta que se encontrava no alto dos mastros das caravelas, de onde os vigias perscrutavam o horizonte em busca de sinais de terra.

 

O CARALH*, dada a sua situação numa área de muita instabilidade (no alto do mastro) era onde se manifestava com maior intensidade o rolamento ou movimento lateral de um barco.

 

Também era considerado um lugar de “castigo” para aqueles marinheiros que cometiam alguma infração a bordo.

 

O castigado era enviado para cumprir horas e até dias inteiros no CARALH* e quando descia ficava tão enjoado que se mantinha tranquilo por um bom par de dias. Daí surgiu a expressão:
“MANDAR P’RÓ CARALH*”

 

Hoje em dia,CARALH* é a palavra que define toda a gama de sentimentos humanos e todos os estados de ânimo.
Ao apreciarmos algo de nosso agrado, costumamos dizer:
“ISTO É BOM COM’Ó CARALH*”

 

Se alguém fala conosco e não entendemos, perguntamos:
Mas que CARALH* é que estás a dizer?

Se nos aborrecemos com alguém ou algo, mandamo-lo p’ró CARALH*.

Se algo não nos interessa dizemos: NÃO QUERO SABER NEM PELO CARALH*.

Se, pelo contrário, algo chama a nossa atenção, então dizemos:
ISSO INTERESSA-ME COM’Ó CARALH*.

 

Também são comuns as expressões: Essa mulher é boa com’ó CARALH* (definindo a beleza);

Essa gaja é feia com’ó CARALH*(definindo a feiura);

Esse filme é velho com’ó CARALH* (definindo a idade);

Essa mulher mora longe com’ó CARALH* (definindo a distancia);

Enfim, não há nada que não se possa definir, explicar ou enfatizar sem juntar um “CARALH*”.

Se a forma de proceder de uma pessoa nos causa admiração dizemos:
“ESTE TIPO É DO CARALH*”

Se um comerciante está deprimido pela situação do seu negócio, exclama: “ESTAMOS A IR P’RÓ CARALH*”.
Se encontramos um amigo que há muito não víamos, dizemos:
PORRA, POR ONDE CARALH* É QUE TENS ANDADO?

É por isso que lhe envio este cumprimento do CARALH* e espero que o seu conteúdo lhe agrade com’ó CARALH*, desejando que as suas metas e objetivos se cumpram, e que a sua vida, agora e sempre, seja boa com’ó CARALH*
A partir deste momento poderemos dizer “CARALH*”, ou mandar alguém p’ró “CARALH*” com um pouco mais de cultura e autoridade académica …

publicado por Fernando Ramos às 20:11

Agosto 25 2013

publicado por Fernando Ramos às 20:27

Agosto 07 2013

O Tri ladrão do corrupto do Porto

Farto de aturar gente que faz do novo desporto nacional gozar com o Benfica e com este final de temporada. Estou numa de recordar este tricampeonato do clube do norte, peço para me ajudarem se me tiver esquecido de alguma coisa:
2010/11
É o mais distante mas lembro-me bem de que nos primeiros 4 jogos do FC Porto fora de casa ficou 1 penalty por jogo por marcar para a equipa visitada, com o jogo em 0-0 ou 0-1 para o FCP. André Villas Boas ganhou uma distância pontual inalcançável...
1ª Jornada
Naval - FC Porto, penalty por marcar logo na 1ª parte de Álvaro Pereira.
3ª Jornada
Rio Ave - Fc Porto
Penalty por assinalar contra o FC Porto ao minuto 39, por falta cometida por Álvaro Pereira, com o resultado em 0-1.
5ª Jornada
O Nacional - FC Porto arbitrado por Bruno Paixão culmina na vitória portista. Bruno Paixão perdoa um penálti claro ao FC Porto por mão na bola de Rolando.
7ª Jornada
Com o jogo empatado 1-1, em Guimarães um defesa do FC Porto agarra escandalosamente Edgar dentro da área... Xistra manda seguir.
Também no princípio da temporada o SLB vai a Guimarães e Olegário não marca 2 penalties claros ao Benfica e não deixa Saviola seguir isolado para a baliza por fora de jogo claramente inexistente. O SLB perde esse jogo.

Para além disso, na meia final da Taça de Portugal no Estádio da Luz, Hulk marcou um dos golos em fora de jogo. O FC Porto eliminou o SLB por 3-1 mas o 2-1 não chegava.
2011/12
A coisa descambou depois do célebre discurso do treinador do FC Porto dizendo que podiam encomendar as faixas.
O campeonato Maicon! Decidido aos 86' com um golo em escandaloso fora de jogo em pleno Estádio da Luz.
Antes disso, na jornada anterior, 2 penalties por marcar em Coimbra tiraram a vantagem pontual ao Benfica.

É também o campeonato dos abraços entre Proença e funcionários do FCP no jogo do título.
2012/13
O campeonato em que o FC Porto só sofreu um penalty em toda a competição, num jogo em que estava a vencer por 3-0, e em que por várias vezes foi permitido à equipa de Vítor Pereira jogar com 2 GR.

Já na etapa final da temporada, depois da conversa do sujinho, sujinho, o Estoril empata na Luz 1-1 com um golo fora de jogo e na última jornada, com o título em jogo, James atira-se para a piscina e o FC Porto ganha um penalty ridículo e uma expulsão muito duvidosa.
publicado por Fernando Ramos às 18:17

Agosto 06 2013

O TAL SISTEMA

 

"Interessante o que revela na sua página no Facebook o jornalista Marinho Neves, autor do polémico livro «Golpe de Estádio» que pôs a nu os podres do futebol português e colaborador do programa da SIC, «Donos da Bola», que tinha como moderador, David Borges e, onde, semanalmente, esses podres do «desporto rei» eram transpostos para o canal de Pito Balsemão com grande impacto. 
Sendo líder audiências. estranhou-se, por isso, que tenha desaparecido do ar…os motivos são apontados por Marinho Neves, que levanta a «lebre» de se ter tratado de uma estranha forma de censura imposta do exterior…censura que, decorridos os anos, ganhou agora novos contornos na exposição comemorativa dos 20 anos da SIC. 
Leia-se o que escreve Marinho Neves: 
«Estão a ser comemorados os 20 anos da SIC. Balsemão inaugurou hoje uma exposição com os arquivos que mais marcaram esta estação.
Em 1992 entrei para a SIC para ajudar a fazer o programa “Donos da Bola” e lá trabalhei até ao seu último programa, em 1999, precisamente na noite em que eu estava reunido com dois inspectores da PJ a quem iam ser entregues provas para prenderem alguns dos maiores corruptos do nosso futebol. 
Margarida Marante pressionou o seu ex-marido, Rangel, para acabar com o programa naquele dia. Eram 3 horas da manhã quando isso aconteceu e anunciado na TSF. Quem nos ia entregar as provas recuou. Desconfiado. 
“Os Donos da Bola” foi um dos programas da SIC que bateu todos os recordes “share”. Mas incomodou tanto, que nesta exposição, assim como noutras, foi completamente ignorado. Este País é mesmo assim: Quem tem a coragem de publicar a verdade é ostracizado. Mas nós continuamos por cá». Retirado DAQUI
Os mais novos não sabem o que é jornalismo desportivo. Apenas lêem focas amestradas ou amordaçadas. Este programa, Os Donos da Bola, foi um programa fracturante. Tinha a coordenação de Jorge Schnitzer. Abaixo transcrevo uma entrevista de J.S. retirada DAQUI.
"Entrevista de Jorge Schnitzer ao Semanário, respondendo a título pessoal sobre os contratos entre a Olivedesportos e a RTP. Um caso flagrante de corrupção grave em claro prejuizo do erário público, através da RTP.
Pergunta. A SIC inflacionou o futebol em Portugal?
Jorge Schnitzer. A SIC quando apareceu fez 3 contratos com os 3 grandes…
P. Para as transmissões dos duelos entre eles, a preços exorbitantes.
JS. Exacto. Aí pagámos de facto mais do que os jogos valiam, porque a SIC tinha uma verba para promoção inicial e aquilo fazia parte do arranque. Porque quando começaram as televisões privadas as pessoas tinham os ecrans sintonizados para a RTP e não faziam ideia nenhuma de como se lá ia mexer nos botões para se apanhar a nova estação. Uma gigantesca através do futebol ajudava.
P. Aí entra a Olivedesportos.
JS. Eles aproveitaram a onda com a ameaça de que a SIC punha em causa a hegemonia da RTP no futebol…
P. Mérito de Joaquim Oliveira.
JS. O sr. JO foi esperto, acertando a compra dos jogos à Liga para posterior venda à RTP, com o apoio de Adriano Cerqueira que, segundo o “Independente” teve uma reunião com a Olivedesportos antes da entrega da proposta da RTP que já se sabia ser inferior à da Olivedesportos.
P. Mas, entretanto, a Liga abriu o concurso para os direitos de transmissão e dos resumos dos jogos…
JS. E a SIC ofereceu 50 mil contos (250 mil euros) que foi o que achou que aquilo merecia.
P. Quanto é que ofereceu a RTP?
JS. Um milhão e oitocentos mil contos (9 M€).
P. E a Olivedesportos?
JS. Um milhão e novecentos e oitenta mil contos (9,9M€). 
P. Porquê este desfasamento?
JS. Ora, entre 50 e 1 milhão e oitocentos mil contos a RTP podia ter ficado com o contrato por 51 mil contos. Ainda por cima depois de a PJ ter feito aquela busca a casa do JO, onde descobriu – ele tinha a porposta da SIC em seu poder – o que mostra que a Olivedesportos tinha conhecimento da proposta para ganhar o concurso. 
P. Há má fé da RTP?
JS. A RTP deu menos que o Oliveira permitindo que a Olivedesportos, que não é uma estação emissora, entrasse no concurso. Só se o JO pusesse umas antenas na testa é que podia entrar nesse concurso, pois a RTP dizia, “Você ganhou? Parabéns, então emita!” Devia ter havido um concurso apenas para intermediários e não misturar tudo neste “caldinho” que deu os resultados que deu. 
P. A RTP é que permitiu estes valores?
JS. Claro, senão eles ficavam com o jogos no bolso e perdiam quase 2 milhões de contos. 
P. Mas a RTP comprou…
JS. A RTP em vez de se retirar do concurso, obrigando a Liga a vender pelo preço que quisesse, faz aquela jogada estranhíssima que a obrigou a pagar, então, 3 milhões de contos (15M€). 
P. Também entram os negócios da publicidade estática.
JS. A Olivedesportos é que escolhia os jogos para serem transmitidos, pois como se sabe, se um jogo dava na TV o valor dos anúncios nos campos custa mais 300% (4 vezes mais). 
P. Como é que a RTP concente isto?
JS. Não sei, mas na renovação do contrato a RTP pagou 4 Milhões de contos (20M€), que saem do bolso do contribuinte para a Olivedesportos. Como é que a RTP pagou tanto dinheiro quando não tem opositor no mercado? (Posição monopolístia, portanto). Porque a SIC ofereceu zero escudos, não fez qualquer proposta… 
P. Mas a SIC ainda transmitiu alguns jogos. Eram clubes for a da órbita da Olivedesportos?
JS. Não, esses clubes estavam dentro do universo do sr. JO. O contrato é o seguinte: os clubes vendem 3 jogos ao Oliveira, e os resumos, porém, os restantes podem ser comprados se nós, ou TVI, se quisermos. 
P. Está a dizer que a RTP tinha o mercado na mão e deixou-o fugir porque quis…
JS. A RTP tinha o mercado na mão mas prefere pagar ao sr. Oliveira. 
P. Voltando à publicidade…
JS. Essa é outra história muito importante. A RTP tinha uma empresa de publicidade estática, a LPE, tinha o melhor negócio de todos que era a publicidade estática do Estádio da Luz, que é o comercialmente mais valioso. Pois, a RTP acabou com a LPE… 
P. Não me diga que a Olivedesportos também tinha uma empresa do mesmo estilo?
JS. A Olivedesportos é, exactamente uma empresa desse estilo, e concorrente da LPE. Porque é que a RTP vai dar dinheiro a ganhar a uma concorrente da LPE que pertence à RTP? Repare que uma empresa pública não pode dar “luvas” por fora a ninguém. A Olivedesportos pode dar prendas a quem entender. O que é certo é que a RTP nunca defendeu a sua empresa que era a LPE. 
P. E acabou ou venderam-na?
JS. O Joe Berardo quis comprar a LPE mas como ela fazia concorrência a uma empresa da Olivedesportos, a RTP recusou-se a vendê-la, preferindo extinguir a empresa, o que é uma coisa exrtaordinária. 
P. Mas de onde vem essa relação entre a Olivedesportos e a RTP?
JS. Isso é que convinha que o sr. Procurador-Geral da República investigasse… 
P. Qual é a verdadeira força do Joaquim Oliveira?
JS. A força do homem não se sabe, o que se sabe é que há muita gente que, de repente, apareceu melhor na vida. Agora se receberam prendas isso é uma tarefa que não me compete a mim provar. 
P. E de onde vem a capacidade económica do JO?
JS. Não sei, mas uma boa ajuda terá certamente sido dada por este ruinoso contrato para o erário público celebrado com a RTP. Antes, ele não tinha um tostão. Toda a gente se lembra de, em Saltillo, ele andar de martelos e pregos, de joelhos, a espetar a publicidadezinha nas placas. Ele só começou a ter dinheiro depois deste contrato com a RTP, verdadeiramente idiota para a empresa pública. 
P. Se diz que voltará a falar com Pinto da Costa, já a JO torce o nariz…
JS. Não conheço esse senhor de lado nenhum. 
P. É Joaquim Oliveira o cancro do futebol português?
JS. Não é ele, mas a Olivedesportos será certamente. Não se justifica haver um intermediário quando a RTP pode dominar directamente o mercado. Tem de se ver para onde vai o dinheiro dos contribuintes. É caso único no mundo haver esta promuiscuidade entre um sócio da Olivedesportos (Antonio Oliveira) ter sido selecionador, ser treinador do campeão português, ser proprietário de um jornal (“O Jogo”) que impõe ao seu sócio um “black-out” desse clube para os jornais concorrentes e proprietário de uma agência de viagens (“Cosmos”) que oferece prendas a os árbitros que apitam esses jogos desse mesmo clube. 
P. Isso é tentacular…
JS. Mais do que um cancro, isto é um verdadeiro “polvo” que mina a credibilidade do futebol. 
P. A RTP Não zela pelos interesses dos contribuintes?
JS: Não zela!"


Continua o mesmo site: "Joaquim Oliveira, a BenficaTV... e os “cavalos de Troia” “benfiquistas”

A Zon Multimédia (antiga PT Multimédia) e a Controlinveste de JOliveira detêm cada 50% do capital da SportTv. Além disso a Zon Multimédia detém a principal plataforma de TV por cabo:a Zon TvCabo. JO é um dos accionista de referência da Zon Multimédia.
Quando o Benfica tentou construir a BenficaTV (BTV) apenas existia uma plataforma de abrangência nacional para distribuir o canal: a Tv Cabo! Temendo que o Benfica pudesse ser concorrente da SportTV em alguns conteúdos a Zon Multimédia ajudou a boicotar a BTV. JO quis boicotar o canal porque sentia que este projecto seria uma ameaça ao seu poder negocial ao nível dos direitos televisivos dos clubes de futebol. A BTV esteve 2 anos boicotada sem que o Benfica pudesse colocar o canal no ar, até que a PT decidiu lançar uma plataforma de distribuição de Tv.
A Clix já tinha lançado um serviço semelhante (Smarttv) mas pertencendo à Sonae não existiria grande interesse estratégico, por parte do Benfica, lançar um canal através dessa plataforma.
Devido à separação da PT e da Zon, esta começou a tentar ganhar quota de mercado na TV por subscrição. Os estudos de mercado indicavam que os clientes preferiam adquirir pacotes de serviço (Net+voz+Internet) e dessa forma era previsível que os 2 grupos empresariais entrassem em competição nesse importante mercado que vale milhares de milhões de euros, lançando novos serviços.
Tendo em conta que o Benfica tinha o seu canal bloqueado pela Zon Multimédia, e que a PT pretendia massificar uma plataforma de tv alternativa (MEO), uma eventual parceria seria excelente para ambas as partes. Não é por acaso que a direcção do Benfica tentou atribuir uma distinção a Henrique Granadeiro, antes do lançamento da BTV ser do conhecimento público. Essa distinção foi recusada num AG de uma forma baixa e cobarde, por determinados sócios com agenda própria, que implicava a tentativa de boicote da parceria entre a PT e o Benfica, agindo esse grupo em claro benefício da Zon e da ControlInveste de JO.
Esses sócios agiram como “cavalos de Troia” e infelizmente muitos sócios foram utilizados como marionetas devido a assuntos colaterais, como o facto do LFV ter sido insultado e achincalhado, apenas e só porque estava a defender os interesses do Benfica e não de determinadas empresas que tentaram prejudicar o Benfica (Zon e ControlInveste).
Acontece que o Benfica é mais forte que certos “conspiradores”, que apenas de movem nas sombras por caminhos tortuosos que nada têm a ver com o Benfica. O Grupo PT é muito maior do que a ZON, dessa forma a estratégia foi tentar tudo para destabilizar o seu parceiro e a sua direcção através de AG´s tumultuosas, orgãos de comunicação social sempre a desestabilizar, grupos de oposição em comunidades online (blogues) e manifestações públicas.
Essa desestabilização chegou mesmo ao cúmulo de no dia da realização da AG do Benfica, que aprovou a constituição da BTV, ter surgido uma notícia completamente falsa, nos jornais da ControlInveste, sobre um “caso Alcides”, que alegadamente teria levado o Benfica a descer de divisão. Mesmo com esse desesperado golpe, que foi alertado imediatamente em alguns blogues, A Zon e a ControlInveste não conseguiram que essa AG tivesse ambiente problemático, já que a “estratégia” nesssa altura já começava a ser evidente. Por outro lado, os sócios do Benfica, na sua grande maioria, reconheciam os benefícios de um Canal de TV próprio, mesmo sem saberem que já existia na altura uma parceria estratégica forte a ser forjada com a PT.
Devido à guerra mediática que envolveu os vários grupos de comunicação no caso Apito Final e UEFA o assunto BTV passou despercebido para a maioria das pessoas. No entanto o Benfica ia lançando algumas notícias sobre o seu desenvolvimento operacional. Os “cavalos de troia” até o director da BTV tentaram descredibilizar…
Até que surge o grande anúncio!! Após uma campanha massiva e cheia de notoriedade da Meo, com a ajuda dos Gato Fedorento, ficou a saber-se que a BTV iria ser lançada inicialmente e em exclusivo na Meo da PT. O Benfica conseguia aliar-se a um aliado de peso para o lançamento da sua TV e ainda por cima conseguia lançar um consórcio capaz de fazer frente a duas importantes empresas dos sectores das Telecomunicações e dos Media, a Zon e a ControlInveste CI).
A partir daí aconteceu o que já se esperava e que tanto temiam os executivos da Zon e CI, a nação benfiquista “acordou”, começou a perceber os esquemas e tentativas de boicote do passado, começou a aderir em massa à MEO e a hostilizar de forma declarada a Zon e CI como nunca antes tinha acontecido. O “Apocalipse Now” estava em andamento e os dirigentes destas empresas entraram em completo pânico com o movimento gerado na opinião pública… 
Após o anúncio de que a BTV seria lançada na MEO, surge a “bomba atómica” final: o jogo Benfica-Nápoles seria transmitido em exclusivo na BTV/Meo. Aconteceram milhares de cancelamentos da TvCabo, milhares de mails e telefonemas, milhares de ameaças de cancelamento caso a Zon não tivesse a BTV, os objectivos estratégicos da Zon ficavam definitivamente em risco de ser alcançados…O “Apocalipse Now” tornava-se realidade!! Para compreenderem melhor basta dizer que a TvCabo tinha 1,5 milhões de subscritores, a MEO em poucos meses já ultrapassava os 200 mil.
Devido à exclusividade da BTV bastava à Zon perder 10% do seu negócio (150 mil clientes) para ficar sem 75 MILHÕES de euros por ano!! Comparados com os 7,5 M€ que o Benfica recebe pela transmissão dos direitos televisivos percebe-se bem a magnitude do “furto” que aconteceu. Tendo em atenção ao cenário caótico que se via, as adições líquidas de subscritores na Zon, no 1º semestre de 2008 tinham caído 34,3% face ao mesmo período do ano anterior, com tendência para piorar. Não admira que os gestores da Zon e CI tenham reagido e tentado tudo para impedir que o “caos” se acentuasse. Poucos dias depois da “bomba atómica”, a Zon já prometia aos seus insatisfeitos clientes que teriam a BTV em breve, mentindo descaradamente, pois tinham deixado de negociar em NOVEMBRO de 2007!!
Por coincidência a SportTv festejava os seus 10 anos de existência e o “estado maior” do Glorioso foi convidado, tendo aparecido LFV, Domingos Oliveira e o Rui Costa. Os dirigentes do Benfica foram recebidos da melhor forma possível por JO, já que este estava interessado a abrir novas formas negociais. O Jornal “O Jogo” anunciava em grandes paragonas que JO tinha sido convidado para ir a Nápoles com o Benfica, tentando apaziguar a rebelião gigantesca da nação benfiquista. A genialidade e brilhantismo dos dirigentes do Benfica permitiu virar o jogo negocial ao contrário e, após vários anos, tanto a Zon como a CI começaram a demonstrar um enorme interesse em negociar com o Benfica. Mas agora a posição era completamente diferente.
O Benfica apresentou uma proposta: a BTV só seria colocada na Zon se fizessem um novo acordo: Direitos televisivos até 2010 por 20M€; gestão do site do Benfica novamente a cargo do Benfica; todos os jogos da Liga em diferido na BTV, sendo que alguns podiam dar em directo. Por cada ano de exclusividade o encargo annual seria acrescentado de 5M€ (2011, 25M€; 2012, 30M€).
(Pelos vistos este acordo não foi aceite. Mostra a má-fé de JO, pelo que esperamos que quando o acordo termine tenhamos já um novo acordo muito mais favorável com um novo operador)."
Mais alguém tem dúvidas do verdadeiro alcance deste sistema?

Há qualquer espaço para se negociar seja o que for com Joaquim Oliveira?

publicado por Fernando Ramos às 22:50

Visitas
(desde 14.7.2012)
Agosto 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

26
27
29
30
31


favoritos

CHIA BENEFICIOS

pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO