MAROCAS

Abril 29 2013

A ARMA


Um sujeito vestindo uma camiseta escrito: "SOU POLÍTICO" entrou numa loja
de armas e perguntou para o vendedor:
--- Qual é o preço de um trinta e oito ?
-- Não estamos vendendo esse revolver!
--- Então, qual é o preço daquela pistola **9 milímetros** da vitrine ?
--- Também não está à venda !
--- E aquela escopeta calibre 12 da prateleira ?
--- Ela também não está à venda.
--- Tô achando que o senhor não quer vender nada pra mim por que sou
Político...
--- Pois é isso mesmo !
O político sai da loja espumando de raiva.
No dia seguinte ele vai procurar o advogado , conta a história para o
"doutor" e pede que ele tome alguma providência!!!
Tentando resolver o problema pacificamente, o advogado vai até a loja
e pergunta ao vendedor:
-- Bom dia, meu amigo. Eu gostaria de saber se você tem alguma coisa
contra
 Políticos?

-- Temos tudo o que o senhor precisar : revólveres, pistolas, metralhadoras,
bazucas e,se precisar, consigo granadas e lança-chamas...
****
 

publicado por Fernando Ramos às 18:26

Abril 26 2013

095-girafa.jpg APROVEITE AS FÉRIAS E VÁ AO ZOO, OS ANIMAIS AGRADECEM

publicado por Fernando Ramos às 17:40

Abril 26 2013

 

Fernando Mendes: «DOPING? ERA SEMPRE CERTO»

 Fernando Mendes: «ERA SEMPRE CERTO»
Citações retiradas do livro «Jogo Sujo», de Fernando Mendes e Luís Aguilar
«Em determinado período da minha carreira cheguei a um clube que tinha uma grande equipa, um belíssimo treinador e um presidente carismático. Para além destas qualidades, existiram outros ingredientes que facilitaram o nosso percurso vitorioso. Devo dizer que antes de ir para este clube nunca tinha tido qualquer experiência com doping (pelo menos conscientemente)»

«Os incentivos para correr eram sempre apresentados pelo massagista. Passado pouco tempo de estar no clube, ele aproximou-se de mim, e de outros novos jogadores (...) Disse-me claramente que aquilo que ia dar-me era doping, embora nunca tivesse falado de eventuais efeitos secundários. (...) Com o passar do tempo assumi os riscos e tomei doping de todas as vezes que me foi dado. (...) Nunca vi um único colega insurgir-se perante essa situação»

«No meu tempo, o doping era tomado de duas formas: através de injecção ou por recurso a comprimido. Podia ser antes do jogo, no intervalo, ou com a partida a decorrer, no caso daqueles que saíam do banco (...) A injecção tinha efeito imediato, enquanto os comprimidos precisavam de ser tomados cerca de uma hora antes do jogo»

«Em alguns clubes onde joguei tomei Pervitin, Centramina, Ozotine, cafeína, entre muitas outras coisas das quais nunca soube o nome»

«Cada jogador tomava uma dose personalizada, mediante o seu peso, condição física ou última vez que tinha ingerido a substância (...) Porém, nos jogos importantes era sempre certo (...) Quando se sabia que não iria haver controlo antidoping, nunca falhava»

«Lembro-me de um jogo das competições europeias contra uma equipa que tinha três campeões do mundo no seu plantel. Um deles era um poderoso avançado no jogo aéreo. (...) Apanhei-o várias vezes no meu terreno de acção. Ele era um armário, com um tremendo poder de impulsão. Mas nesse dia eu saltei que nem um louco e ganhei-lhe quase todas as bolas de cabeça (...) O meu segredo: uma pequena vacina, do tamanho de meia unha, chamada Pervitin»

«Em certos treinos víamos um ou dois juniores que apareciam para treinar connosco. Esses juniores não estavam ali porque eram muito bons ou porque tinham de ganhar experiência. Estavam ali para servirem de cobaias a novas dosagens. Um elemento do corpo clínico dava cápsulas ou injecções com composições ilegais a miúdos dos juniores (...) Diziam-lhes que eram vitaminas e que a urina era para controlo interno»

«Se um jogo fosse ao domingo, o nosso médico sabia na sexta ou no sábado quais as partidas que iriam estar sob a tutela do controlo antidoping. Mal tinha acesso à informação, avisava todo o plantel e o dia de jogo acabava por ser directamente influenciado por essa dica»

«Em determinada temporada (...) sou convocado para um encontro particular da Selecção Nacional. (...) Faço uma primeira parte fantástica, mas ao intervalo começo a sentir-me cansado e tenho medo de não aguentar o ritmo (...) O jogo realiza-se num estádio português (...) Estão lá um médico e um massagista de um clube onde jogo (...) No intervalo, peço a esse médico para me dar uma das suas injecções de doping. Saio do balneário da Selecção, sem que ninguém se aperceba, e entro numa salinha ao lado. É aí que me dão a injecção pedida por mim. Volto a frisar que ninguém da Selecção se apercebeu»
publicado por Fernando Ramos às 13:19

Abril 25 2013

borabora-praia.jpg GOSTAVA DE IR PARA LÁ MAS.................

publicado por Fernando Ramos às 18:27

Abril 21 2013

O espião russo

Nos tempos da Guerra Fria, um espião escapou do KGB russo.
Prestes a ser capturado, na fuga colide com uma freira a quem pede que
o esconda debaixo do hábito.

Quando os agentes do KGB se cruzam com a freira, perguntam-lhe se
tinha visto um homem suspeito em fuga.

A religiosa informa-os de que não tinha visto nada, e os agentes
seguem o seu caminho.

Depois do perigo passado, o espião sai debaixo do hábito da freira e diz:

-Obrigado, irmã, por ter-me salvado de ser capturado pelo KGB.

-Fi-lo com muito gosto - responde a freira.

-Se mo permitir, tenho que dizer-lhe, irmã, que você tem umas pernas
muito formosas. Não notou o leve beijo que lhe dei nos tornozelos?

-É claro que sim.

-E não sentiu, pouco depois,os meus beijos fogosos nos seus joelhos?

-Evidentemente.

-Imagino que também notou quando fui subindo e lhe passei a língua nas coxas?

-Sem dúvida que o notei, claro.

-E o que poderia ter sucedido, irmã, se eu tivesse continuado a subir e a subir?

-Aí penso que me terias lambido os tomates.
Ou achas que és o único espião que anda por aqui?

 

publicado por Fernando Ramos às 17:57

Abril 13 2013

publicado por Fernando Ramos às 11:24

Abril 05 2013

 

31.º ANIVERSÁRIO À FRENTE DO FC PORTO

(...) Conheci a sua fúria pela primeira vez nos balneários do Estádio do Restelo, situação que me pôs a abrir o jornal da RTP2, então apresentado pela Manuela Moura Guedes. Logo a seguir, o então presidente do Belenenses, Mário Rosa Freire, denunciou a presença de seguranças do FC Porto no Restelo com metralhadoras nos porta-bagagens dos automóveis. Confesso que não as vi mas confirmo: levitei um bocadinho ali para os lados de Belém…  (Eugénio Queirós)

.............................................


Bastava o Jorge Nuno dizer-me: 'Este tem que ser limpo'

PINTO DA COSTA 
31 ANOS DE EXEMPLAR VALENTIA

1988
Novembro, 20
Apesar da sua avançada idade, Carlos Pinhão é barbaramente agredido em Aveiro, depois de jogo Beira Mar-FCP, por elementos ligados ao FCP. O processo judicial acabará por ser arquivado por "falta de provas".
No mesmo dia, Martins Morim, do mesmo jornal, é também alvo da fúria dos adeptos do clube da cidade invicta. Entre os agressores destacava-se Tónio Maluco, conhecido adepto portista. O guarda Abel diz aos jornalistas que «era melhor do que cair por uma ribanceira».
1989
Março, 5
Eugénio Queirós, jornalista do Correio da Manhã/Record, é agredido no Estádio do Restelo por seguranças de Pinto da Costa, que o empurram violentamente para fora do corredor de acesso à cabine do FC Porto. O jornalista ainda apresenta queixa na PJ mas acaba arquivada por "não se conseguir identificar os agressores".
Setembro, 24
João Freitas, jornalista de A Bola, é agredido barbaramente perto dos balneários do Estádio das Antas. Foi assistido no Hospital de Santo António e identificou Vergílio Jesus e um tal Armando entre os agressores. A queixa foi arquivada porque a testemunha principal, o agente da PSP Oliveira Pinto, disse que não se lembrava de nada.
1990
Outubro, 24
José Saraiva, chefe de redacção do Jornal de Notícias, é agredido à porta de casa por dois indivíduos. O JN tinha publicado uma notícia envolvendo Pinto da Costa no famoso caso "Aveirogate". Nunca chegou a haver queixa judicial.
1992
Setembro, 1
António Paulino, jornalista do Expresso é agredido à porta do seu jornal na redacção do Porto, segundo o próprio, por Pinto da Costa, o filho e Joaquim Pinheiro. Tudo acontece porque queriam sabem que teria sido o jornalista responsável pela notícia sobre um processo de Alexandre Pinto da Costa.
1994
Dezembro, 11
Marinho Neves, jornalista da Gazeta dos Desportos e autor do livro sobre corrupção na arbitragem "Golde de Estádio" é alvo de uma emboscada à porta de casa por dois indivíduos. Processo judicial vem a ser arquivado na PJ do do Porto por "falta de provas", apesar de haver cinco testemunhas que nunca foram ouvidas e de a queixa se fazer acompanhar com uma fotografia dos agressores
1995
Março, 5
No intervalo de um FC Porto-Benfica, José Pratas, o árbitro do encontro, é insultado e agredido no balneário. Quando volta ao terreno de jogo faz uma arbitragem absolutamente vergonhosa, beneficiando claramente a equipa da casa. O FCPorto vence o jogo por 2-1.
2002
Rui Rio, Presidente da CM do Porto denuncia um eventual favorecimento político do anterior camarário em torno da construção do novo Estádio do FCP.
Março
Rui Rio é escoltado pela Policia, em causa uma manifestação dos portistas contra a suspensão das obras do Estádio.
2005
Janeiro, 25
Ricardo Bexiga, vereador do PS da CM de Gondomar é violentamente agredido no Parque de Estacionamento por dois indivíduos encapuzados, contratados pela ex-namorada de Pinto da Costa, Carolina Salgado.  (ver vídeo)



JOÃO SANTOS: MOSTRAVAM METRALHADORAS...

João Santos, antigo presidente do Benfica, relembra o episódio das ameaças de morte perpetradas pelo guarda Abel.
“Estava em representação do clube na cerimónia de tomada de posse dos órgãos sociais do Salgueiros. Logo no início do acto, entra na sala um indivíduo o guarda Abel, que começa a injuriar-me. ameaçando-me de morte. Acho que o fez porque nós denunciávamos frequentemente algumas práticas menos claras que ele e o seu grupo cometiam. Ele estava nitidamente embriagado, ou pelo menos actuava como tal. Lá o convenceram a sair da sala, mas fê-lo a custo e sempre a ameaçar-me de morte”.
João Santos garante ainda que nas deslocações a Lisboa, o grupo do guarda Abel “mostrava as metralhadoras que escondia debaixo das gabardinas, para intimidar. Segundo sei, eram armas da polícia, requisitadas à sexta-feira, antes dos jogos, e devolvidas na segunda-feira. Infelizmente, o processo sobre este caso não teve seguimento, pois o ministro da tutela de então parece que o guardou na gaveta. Razões políticas...”



HERNÂNI GONÇALVES: O BALNEÁRIO É UM SANTUÁRIO

“O guarda Abel é um polícia muito competente e um portista ferrenho, do qual tenho o prazer de ser amigo. Há uns anos, em Alvalade, houve um diferendo entre o Branco e um jogador do Sporting. A polícia quis entrar no balneário e ele disse-lhes: “Alto que aqui ninguém entra. Isto é um santuário fora da autoridade policial”. E eles não entraram”.


Ah! VALENTES ! 

publicado por Fernando Ramos às 21:27

Visitas
(desde 14.7.2012)
Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
19
20

22
23
24
27

28
30


favoritos

CHIA BENEFICIOS

pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO