MAROCAS

Agosto 30 2005
À FLOR DA PELE

Venho para este quintal
mais uma vez cumprir
o meu destino, que me
faz viver à flor da pele
Fumo meu cigarro ouvindo
o silencio da noite
Vejo os arbustos que crescem
desordenadamente em
retorções de dor,
para me darem mais raízes que
vão nascer numa noite
de lua cheia, que virá
com a primavera
Sento-me num banco,
e penso na solidão
que me aconchega nesta
noite mágica, onde vou
viver mais uma vez em fuga
Minha vida está partida
em pedaços incontáveis
Sou mulher de má vida,
que já não sente amor em mim,
que há noite recebo
meus clientes há porta
deste quintal de minha casa,
levando-os para meu quarto
onde os violo nas suas loucuras,
em prazeres indefinidos
entre murmúrios, onde se soltam
beijos perdidos sem amor,
e no final, fazendo os voltar
sempre, e sempre ao meu recanto
Para mim resta, o seu pagamento,
nada mais, e voltar
para este quintal, fumar novo
cigarro e esperar por outro
tão infeliz como eu,
à sobra da noite
Que faz parte de uma lista
de outras tantas, e tantas
noites passadas, que deixam
meu coração desesperado,
e que me faz viver sempre
à flor da pele

de: fernando ramos - www.meuslivros.weblog.com.pt
18.8.2005

publicado por Fernando Ramos às 19:43

Agosto 05 2005
amalia4-.bmp

AMÁLIA - POEMAS PARA UMA DEUSA

Com tua voz encantavas,
todos os teus admiradores
Os poemas que cantavas
alguns foram dos trovadores

Cantavas o fado com paixão,
e o povo na rua te ouvia
Ninguém mais canta como tu
os fados da velha telefonia

Amália és do povo,
gritam todos e com razão
Ela está no Olimpo
e no povo, no coração

Eras uma fadista magnífica,
todos nós isso sabemos
Ninguém mais te substituiu
dizem os fadistas serenos

Deixaste os teus amigos
numa tristeza de enlouquecer,
a falta que lhes fazes
tu bem no céu estás a ver

Amália reza por eles,
e dá-lhes todo o teu saber
Um dia quando aí chegarem,
com Deus os vais receber

Poetas façam poemas
para esta fadista de boa memória,
ninguém a vai esquecer
ficará sempre na nossa história

Poemas para uma Deusa
eu escrevo com muito amor,
neles ponho todo o meu saber
graças ao nosso criador

A Julia florista,
cantas-te tu um dia
O povo jamais se esquece
dessa enorme alegria

Até breve amiga do povo,
que todos rezam por ti
Um dia quando se encontrarem,
no céu vai ser um festim

de: fernando ramos - www.meuslivros.weblog.com.pt
25.7.2005
publicado por Fernando Ramos às 12:30

Visitas
(desde 14.7.2012)
Agosto 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
31


favoritos

CHIA BENEFICIOS

pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO