MAROCAS

Junho 29 2005
jardim-copos.jpg
Devem estar a comemorar mais alguns 'negócio' de venda de sifões para retretes

DÍVIDA PÚBLICA DA MADEIRA DUPLICA EM DOIS ANOS

A dívida pública passou de 690 milhões para 1.134 milhões de euros, entre 2001 e 2003, e o Tribunal de Contas recomenda a Jardim maior rigor na previsão das receitas.

Este é o titulo do Jornal Público de 23.6.2005 (obrigado ao Público pelo título)

O Sr. Jardim continua a fazer o que quer do 'pessoal' deste lado do Atlântico, e ninguém põe ordem nisto..!

São 'artistas' como este que deixaram Portugal financeiramente no estado em que está. E quem paga é sempre o Zézinho...

Os Portugueses pagantes fazem um apelo a José Socrates para acabar com 'esta linda brincadeira' do "senhor do Rochedo", e com as brincadeiras de outros senhores que têm enterrado o país económicamente, com consequências muito graves para os que sempre pagaram tudo.

Têm de deixar os trabalhadores portugueses em paz, em vez de os obrigam a caminhar para a miséria e para uma morte de fome...
publicado por Fernando Ramos às 18:34

Junho 26 2005
VENTO DO NORTE

Se tivesse escutado o vento do norte
tu meu amor estarias comigo, trocando
olhares maliciosos que me enloqueciam
e me deixavam desfeito de prazer no teu regaço
A vida levou-te para as montanhas do gelo
e eu fiquei nesta solidão imensa

Se eu o tivesse escutado, hoje ainda
teria teu sorriso resplandecente,
que via pelas manhãs nas primaveras de outrora
Meu amor, foste embora e tua magia me persegue
em pensamentos constantes que me fustigam
lembrando longos beijos ardentes

Ai se eu o tivesse escutado,
talvez agora ainda seríamos
amantes entrelaçados em nossos
corpos enlouquecidos que apaixonadamente
se perdiam no tempo.
Ai se eu tivesse escutado o vento do norte

(fernando ramos - www.meuslivros.weblog.com
15.06.2005)


publicado por Fernando Ramos às 19:26

Junho 24 2005
vieiradasilva.jpg

Vieira da Silva, Ministro do Trabalho e da Solidariedade Social, conforme notícia do Jornal Público de 29.5.2005, disse serem “irrelevantes” os impactos nas pensões dos funcionários públicos com a aproximação do cálculo das pensões com o sector privado.

A ideia deste novo governo é fazer com que os funcionários públicos, que entraram para o estado antes de 1993, passem a ter a sua reforma mais próxima do sector privado e então para isso a sua pensão será calculada de 2 maneiras quando forem reformados:

- Uma parte os seus vencimentos até 2005 e outra parte para o novo regime apartir de 2006.
Acontece que isso vai fazer que os funcionários admitidos antes de 1993 vão ter um corte substancial na sua pensão pois eles até 2005 são reformados com 90% do seu salário e, a partir de 1 janeiro de 2006, vão passar para 80%. Com a nova formula de cálculo vão ter um corte de 5% no seu salário, e o senhor ministro acha isso “irrelevante”...

Acho bem ele ir dizer isso aos funcionários públicos, especialmente aqueles que ficarão com uma de pensão mais baixa, como por exemplo os de valor até 600 euros (120 contos), talvez eles não achem isso tão “irrelevante” porque, 5% para eles sempre é muito dinheiro, e até proponho que o senhor ministro, quando for reformado, passe a ter uma pensão deste valor, talvez aí, 5% de perca, ele já não ache tão “irrelevante”.

E hoje (17.6.05) o seu ministro disse sobre as penalizações dos funcionários públicos, "que teve de tomar estas medidas para não ter de ter outras piores". Será que o ministro estava a falar de possíveis despedimentos no Estado?
Ó Sr. Ministro Vieira da Silva, nem no fascismo se podia despedir os funcionários públicos, será que o Senhor, como Socialista, quer fazer a estreia com os funcionários públicos mais antigos? Esperemos que não, não vá por aí, senão tem o caldo entornado!

Será este o homem certo no lugar certo? É que para ser Ministro da Solidariedade Social, pensava eu, o factor económicista aqui teria pouco valor, e o que contaria mais era o factor social, e parece-me que esta medida de social terá muito pouco. Mas que raio de culpa têm os funcionários públicos, admitidos antes de 1993, das asneiras que os governos têm feito?! É que agora, mais uma vez, vão ter de pagar mais esta factura!
publicado por Fernando Ramos às 18:02

Junho 23 2005

Frases são como cristais finos
que deslizam na tua pele
Algumas são crueis, outras fatais
que nela sabem a fel

Frases ditas sem pensar
são como uma pomba perdida,
frases que correm nos teus lábios
são como beijos dados de partida

Frases feitas com o coração
essas sim fazem amar,
frases belas com paixão
são aquelas que levam a perdoar

Outras frases poderás dizer
que no teu peito não tem amargura
porque é lá onde poderás esconder
sentimentos de muita ternura

Frases ditas para quê
quando estás junto de mim
mais frases não digas meu amor
porque já sofro assim

de: fernando ramos - em www.meuslivros.weblog.com.pt
17.06.2005
publicado por Fernando Ramos às 14:58

Junho 20 2005
amar-1.jpg

AMOR PERDIDO

Fosse eu o teu amor perdido
em meu lugar te falaria,
mas por causa das vezes
que me esqueceste,
não posso mais pensar em ti,
e perdidamente me apetece
tentar dar-te um grito de revolta
e de espanto sentido

Aí, seja eu o poeta cantor
que te faça amar loucamente,
e cantaria ao mundo os meus poemas
que para ti escrevi
em longas noites de solidão.
Assim a minha paixão terá de viver
no mundo de sonhos desfeitos,
porque meus poemas soltos e sensuais
ficarão na gaveta esquecidos
na esperança de um dia
minha pena voltar a escrever

E vendo teus olhos,
vejo meus sonhos poéticos
que os guardo com aquelas tardes
que são marés calmas numa praia
de mar azul,
onde lá deixarei minhas fantasias
correrem em cima dos meus castelos
feitos de barras de ouro maciço

Serei pescador com sonhos perdidos
no mar, que em ofertas, minha poesia
te cantarei para teu corpo e alma,
eles sentirem o amor que se perde
no tempo e na intimidade
de dois seres de paixão intensa,
e com isso prendendo-te
para sempre nos meus braços
que te apertam desesperadamente
fernando ramos
18.06.05</em>
publicado por Fernando Ramos às 16:59

Junho 19 2005
1 - 1-1143-1185.jpg

1 – 1143 a 1185 - D. Afonso Henriques
Segundo a ‘lenda’ nas primeiras lutas pela independencia de Portugal, D.Afonso Henriques terá usado um escudo branco com uma cruz azul. Assim nasceu a nossa primeira Bandeira.

2 - 2-1185-1248.jpg

2 – 1185 a 1211 - D. Sancho I
1211 a 1223 - D. Afonso II
1223 a 1248 – D. Sancho II

Neste período as armas reais eram representadas por cinco escudetes de azul em campo de prata, dispostos em cruz.

3 - 3-1248-1383.jpg

3 – 1248 a 1279 - D. Afonso III
1279 a 1325 – D. Dinis
1325 a 1357 - D. Afonso IV
1357 a 1367 – D. Pedro
1367 a 1383 – D. Fernando

Com D. Afonso III as armas do reino receberam uma bordadura de vermelho, semeada com um número indeterminado de castelos de ouro.

4 - 4-1385-1481.jpg

4 – 1385 a 1432 – D. João I
1432 a 1438 – D.Duarte
1438 a 1481 – D. Afonso V

As armas reais são de prata, com cinco escudetes (que passam a ser dominados de ‘quinas’) de azul dispostos em crus. A bordadura é vermelha, com castelos de ouro, e sobre ela as pontas da cruz verde floretada da Ordem de Avis.

5 - 5-1481-1495.jpg

5 - 1481 a 1495 – D. João II

D. João II retira das armas reais os remares de flor-de-lis e coloca verticalmente as quinas laterais no escudo.

6 - 6-1495-1557.jpg

6 – 1495 a 1521 – D. Manuel I
1521 a 1557 – D. João III

No reinado de D. Manuel I as armas reais foram fixadas em fundo branco. Ao centro sobre o escudo Português, colocada uma coroa real aberta.

7 - 7-1557-1640.jpg

7 – 1557 a 1578 – D. Sebastião
1578 a 1580 – D. Henrique
1580 a 1640 – Domínio dos Filipes

No final do reinado de D. Sebastião, a coroa real passa a estar fechada, relacionada com o reforço de autoridade. Os reis Espanhois não a alteram.

8 - 8-1640-1834.jpg

8 – 1640 a 1656 de D. João IV a Dª. Maria I 1777 a 1816
1826 – D.Pedro IV
1826 a 1828 – Regências
1828 a 1834 – D. Miguel I

A bandeira branca, com o escudo nacional, encimado pela coroa real fechada com os cinco arcos em vista, foi o simbolo da Restauração.

9 - 9-1816-1826.jpg

9 – 1816 a 1826 – D. João VI
Foi colocada por detrás do escudo, uma esfera armilar de ouro am campo azul, simbolizando o reino do Brasil e, sobre ela, uma coroa real fechada. Após a morte do rei, a esfera armilar foi retirada das armas.

10 - 10-1834-1910.jpg

10 – 1834 a 1853 – Dª. Maria II
1853 a 1855 – Regências
1855 a 1861 – D. Pedro V
1861 a 1889 – D. Luis
1889 a 1908 – D. Carlos
1908 a 1910 – D. Manuel II

A 18 de Outubro de 1830 as cores da bandeira passaram a ser o azul e branco, com as armas reais ao centro.

11 - 11-19.6.1911.jpg


11 - 1911 – Bandeira Republicana

A 19 de Junho de 1911, um decreto da Assembleia Nacional Constituinte aprova a verde-rubra. Ao centro o escudo das armas nacionais, assenta sobre a esfera armilar Manuelina, em amarelo.

(os meus agradecimentos à Pública de 5.6.2005)

bandeira12.gif


publicado por Fernando Ramos às 21:34

Junho 18 2005
OUTONOS

Já tudo dissemos na rua do tempo,
mas ali estamos nós, lado a lado
como nas frias manhãs de Outono,
e nos nossos lábios cansados
ainda trocamos beijos roubados
como se adolescentes fossemos

E então meu amor, apesar dos anos
que por nós vão passando
ainda dizemos por palavras
já há muito gastas que nos amamos,
e ao olharmos o céu azul aos fins de tarde
trocamos sorrisos coniventes
dizendo que estamos juntos
como no princípio dos tempos
então passados, e que nos foi fortalecendo
para outros Outonos que ainda virão

E juntos caminharemos continuamente
vergados pelo cansaço de algumas manhãs
onde nos amamos perdidamente
dentro de lençois que guardam nossos segredos
de sílabas trocadas de promessas
de outros Outonos vindouros,
que nos vão deixar para sempre ligados
até ao final que nós não queremos
mas onde a vida vai deixar acontecer

(de fernando ramos em www.meuslivros.weblog.com.pt
15.06.2005)
publicado por Fernando Ramos às 09:31

Junho 17 2005
tacho.jpg

A lata que alguns ‘figurantes’ da nossa praça tem quando estão em alguns lugares públicos é de bradar aos céus. Eles são autarcas que se aproveitam desse estatuto e fazem negócios das empresas deles com as Câmaras, onde por vezes, alguns nem são simples vereadores, mas sim presidentes dessas mesmas Câmaras.

Temos o caso de Cruz Silva, este que até foi deputado pelo PSD na legislação anterior, e que está a contas com a justiça por ter feito alguns negócios da sua empresa com a Câmara que veio lesar o erário público em milhares de euros.

Também temos o caso de Avelino Ferreira Torres que tem a PJ a investigar negócios menos claros, de onde o público de 8.6.2005 diz que ele juntamente com 2 filhos detém uma empresa que é dona de pelo menos 14 quintas ou campos agrícolas, e não me parece que o salário de presidente da Câmara de Marco de Canavezes por muito bom que seja possibilite tanta riqueza acumulada.

Depois, até temos o ex-ministro da Economia e Finança, Pina Moura que é deputado na assembleia da República e acumula em simultâneo as funções de administrador não executivo da Galp e de presidente executivo da empresa Espanhola Iberdrola em Portugal. Precisamente empresas estas que quando Pina Moura foi ministro tiveram entradas de capital em empresas Portuguesas como a GalpEnergia e da EDP (jornal público de 8.6.2005), onde estas situações deixa dúvidas de lisura e transparência nos espíritos mais conservadores dos Portugueses .

Tudo isto leva o zé povão a pensar e com razão, que algumas pessoas entram para a política não para servirem o bem comum, mas precisamente se servirem desse mesmo bem comum, e com isso beneficiarem dos chamados ‘tachos’, que por vezes leva a situações escandalosas de Corrupção.

Está na altura de José Sócrates e o seu governo por travão nestas aberrações, onde alguns enriquecem à conta da confiança e da boa vontade da maioria do povo que os coloca em lugares onde tudo se preporciona, porque se nada for feito, vai levar-nos a pensar que afinal os favores entre amigos e por interesses não existem, e a corrupção em Portugal não passa de uma miragem de alguns invejosos e mal intencionados. E eu aqui tão preocupado com ninharias!
publicado por Fernando Ramos às 11:41

Junho 14 2005
VI - ADEUS POETA

Foi embora o poeta
desta vida de mil quereres,
com ele tanta cultura foi
para as terras dos saberes

Volta poeta, volta
para ouvirmos os teus dizeres,
porque tudo que sabemos
de ti nós aprendemos.

Tudo aquilo que perdemos
jamais iremos perceber
mais pobres ficámos na certa
com a falta do teu saber

Porquê meu amigo poeta,
tão cedo te foste embora
porquê essa pressa amigo
naquele dia pela aurora

O povo chora baixinho,
lagrimas sentidas de dor
todos estão sofridos
com falta do teu amor

O poeta não volta mais
lá das terras do saber
a cultura e outros tais
ficam cá para ver

O poeta não volta, não,
para mal da nossa liberdade
todos ficaram mais pobres
e com maior saudade

fernando ramos
14.06.2005

V - POBRE DA VERDADE

Pobrezinho eu serei
mas com muita dignidade
porque a vida me ensinou
falar sempre a verdade

A verdade faz doer
a todos, e com razão
mas ela tráz o saber
a um pobre de tostão

Nesta vida pobre sou
mas forte em emoção
em outra vida rico estou
mas pobre em solidão

Os anjos que este pobre tem
só a ele diz respeito
são dos bons e mais de cem
que vivem dentro de seu peito

Pobre e feliz me deixaste
com o saber e a certeza
que mais poderia eu querer
do que esta tua gentileza

fernando ramos
14.06.2005


IV - PARTIDA

Hoje partiu um amigo,
um amigo de verdade
Com ele foi uma vida
que agora me deixa saudade

Em outros dias passados
alguem falou de ti
lembrei-me dos nossos pecados
quando falavamos dum dia assim

Adeus amigo que fugiste
para a nossa eternidade
Deus quer que partamos
E que deixemos a saudade

Ó sinos do meu país
Ó poetas da minha cidade
tocai melodias que Deus quis
e escrevei poemas de liberdade

fernando ramos
14.06.2005


III - PARA UM GUERREIRO

Não choro pelo guerreiro
que é o meu herói
Mas choro da sua ausência,
porque é de lá que doi.

O povo do meu país,
saudades dele já tem
porque sabem que o guerreiro
daquele lado não vem.

Ó lutas então travadas,
o meu herói já não vem
o guerreiro já não volta
dos lados do além.

Autrora ele voltou
das masmorras do inferno
trazia a esperança a todos
dum futuro bom e sério

Com ele veio a vitória
duma guerra longa e escura
e de lá veio a esperança
que ainda hoje perdura

Ninguem acreditou
no meu herói guerreiro
Porque nos anos que passou
todos perderam no terreiro


fernando ramos
13.06.2005

II - ESPERANÇA NO CORONEL

Foste um trovão de Abril,
que de alegria nos encheu
eras generoso no dar, àqueles
que esperança não tinham.

Obrigada pela tua bondade,
o povo jamais te esquece
no inverno que se aproxima.

Contigo, um dia a esperança chegou,
e com ela, a força da tua razão,
e agora que partiste
no povo deixas uma lágrima,
porque a saudade se aproxima
e com ela, novamente a solidão
.

(fernando ramos
12.06.2005)


I - POMBA PERDIDA

Nas asas daquela pomba
vai o meu amor
Nelas vão minha vida
e todo o meu fervor

Não sei o que pensar
se aquela pomba não chegar
será que vou morrer
por causa de a perder

Ó pomba, vem depressa
e tráz a minha vida
sem ela não sei viver
nesta selva perdida

E se a pomba não voltar
eu sei que vou sofrer
Meu coração vai sangrar
por meu amor eu perder

Volta pomba por favor
porque ela é toda a minha razão
Eu sem ela não vivo
e fico na solidão

fernando ramos
5.06.2005


publicado por Fernando Ramos às 13:56

Junho 03 2005
cara feia.jpg

Este é um 'perigoso' funcionário público, tem como 'crime' estar no estado desde que veio da aldeia, quando os comboios ainda eram a vapor.

Nome - Façanhudo Juvenal Fagundes da Purificação

Idade - 58 anos

Estado - Casado com Dª. Cremilda Meneses

Filhos - 12, que nasceram na época em que ainda não havia televisão.

Habilitações - 4ª Classe tirada à noite (onde conheceu a sua Cremilda)

Ordenado - 550 euros, já com todas as promoções

Actividade - Coveiro num cemitério qualquer da cidade

Anos de Funcionário Público - 34

Partido onde vota - Já votou no PCP (várias vezes), outras no Bloco de Esquerda, e ultimamente no PS porque a mulher acha imensa graça ao Engº Sócrates, mas ele anda desconfiado que está a ser enganado, porque ouviu dizer que o senhor Engenheiro vai ser 'mauzinho' para ele e para com os outros colegas Coveiros, com esta história das reformas dos funcionários públicos mais antigos...

Clube do seu coração - Sporting, mas também tem uma grande paixão pelo o Sarapicos Futebol Clube, que é a equipa da sua aldeia.

Opinião sobre a legalização do Aborto - Não tem, porque não sabe o que é isso.

Opinião sobre a Constituição Europeia - Sabe que o Sarapicos nunca irá lá jogar!

Actualmente o Estado Português tem um problema muito grave com este personagem, descobriu que ele tem beneficiado dum ordenado principesco, e dada a sua idade já se estava a preparar para se reformar, aos 60 anos, com 90% do ordenado, o que iria ter consequências muito graves no défice...

Assim publica-se a foto para que, se o virem no Metro, no Eléctrico ou em qualquer outro transporte público, pela vossa rica saúde fujam para bem longe, se não o Eng.Sócrates tem de tomar medidas!

O IRMÃO DELE
sorriso-LINDO.jpg

Este é o irmão do Façanhudo, outro perigoso Funcionário Público. Geremias Vai com Elas Lindinho da Purificação (seu nome), também é um dos culpados pelo défice de 6,83%, porque é mais outro dos principescos ordenados do Estado Português, ganha 520 euros mensais e não tem direito a cartão de crédito, mas tem direito a gozar mais um dia de férias pela sua antiguidade num organismo Estatal, e é por isso que agora o senhor Engenheiro José Socrates está a pensar castigá-lo como ele merece. Apesar de ser empregado da Cãmara não é considerado um Autarca modelo como o senhor Isaltino de Oeiras, o tal que segundo se consta não gosta de pagar cá o IVA, e por isso tem feito umas poupanças na Suiça.

O trabalho actual de Lindinho é de apanha 'prendas' dos cãezinhos lá do meu bairro. Está na Câmara de Ranholas City há mais de 35 anos, e neste momento, por ter sido escolhido por um grupo de Jornalistas de Lisboa tem uma 'nobre' missão entre mãos, que é de encher um contentor de dos ditos 'cócós' para levar para a ilha da Madeira, a fim de entregar ao Sr. Alberto João, com os cumprimentos dos jornalistas do Continente (não sei porquê... Será por causa daquela história dos filhos da puta?).

O homem merece, e certamente irá retribuir mandando os ditos jornalistas para outro lado qualquer assim que tiver uma camara de televisão ao pé dele e dos seus amigos vendedores de 'sifões para sanitas´. Geremias Lindinho terá de ter cuidado que o Alberto João, porque ele é danado para a brincadeira e ainda lhe vai tirar os oculos!!!



publicado por Fernando Ramos às 23:00

Junho 02 2005
Alienigena 1.jpg

Nós, homens ao passarmos pelas bancas dos jornais que por aí vão nas ruas da nossa cidade, verificamos que elas estão cheias de revistas, algumas pornográficas, outras não tanto, e é sobre estas últimas que quero falar. Verificamos que na capa vêm fotos de mulheres quase nuas, as mulheres penso eu não gostam destas revistas, talvez lhes interesse mais as que têm fotos do 'rabiosque' do Brad Pit, mas nós ao olharmos para as que trazem as meninas, sempre ficamos com um brilhozinho nos olhos. Digam lá se não é assim...

Tenho a certeza que as empresas ao criarem estas revistas, trazendo mulheres com as medidas certas(e outras nem tanto), é precisamente por saberem que os homens são um alvo que vale milhões, e então aproveitam para nos sacar algum do nosso mísero salário, e em alguns casos até sacam mesmo, pois já estou como o outro, "um homem não é de ferro"..!

Com isso fazemos uma triste figura, porque ao ficarmos especados a olhar para as ditas revistas, a senhora Rosa, dona do quiosque, fica pensando que nos vai vender a publicação, talves porque traga algum artigo que nos intressa, e no fim o que nos intressa mesmo é a dita foto, que nessa semana até tráz a Mariza Cruz, ou a Isabel Figueiras,todas 'produzidas' com pinturas da moda, e vestidas com roupas mais do que reduzidas, ou até vem publicado na capa a foto de Fáfá de Belém, com roupas bem justinhas no seu corpo 'cheinho' que mostra bem como são volomosos os seus peitos, que mais não faz, do que fazer publicidade a um iogurte qualquer.

O bicho homem é terrível, nem percebe que estas meninas benfeitinhas, e algumas até volumosas (sim porque à gostos para tudo), só estão nas revistas a olhar para nós com ar de como quem diz, "estou aqui só a fazer o meu trabalho"!

Nós homens nestas alturas sofremos muito, e estamos bem tramados, somos mesmo uns tolos...

NÃO HÁ MESMO NADA A FAZER!!!
mulher.bmp


publicado por Fernando Ramos às 22:29

Visitas
(desde 14.7.2012)
Junho 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
15
16

21
22
25

27
28
30


favoritos

CHIA BENEFICIOS

pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO